quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Aluno com PC não pode fazer o Enem


Trabalho com o Gui desde os 5 anos, ele é um dos casos da minha tese de doutorado, um aluno que não fala e não caminha, mas com o cognitivo totalmente preservado. Fez o curso técnico em informática e é um excelente programador. Após conseguir cursar o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, utilizando um computador como meio de comunicação o governo não permite que faça o exame do Enem utilizando um. O computador é o seu lápis e caderno eletrônico.
Bem, ele utiliza um mouse especial, e uma colméia que é uma máscara de teclado. Várias vezes aqui no Blog mostrei a colméia e como o Gui trabalha.
Abaixo segue a nota que saiu no jornal NH de ontem.

A luta do jovem Guilherme para fazer o Enem
Estudante de 17 anos tem paralisia cerebral.

Novo Hamburgo - "Sou jovem e quero fazer o Enem com o meu lápis, que é o meu computador", escreveu Guilherme Finotti, 17 anos, que tem paralisia cerebral. Ele está inscrito para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no Colégio Santa Catarina. Mas isso só será possível se o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) adaptar um computador com mouse e teclado especiais. O assessor especial do ministro da Educação Fernando Haddad, Nunzio Briguglio, em entrevista nesta segunda-feira à Rádio ABC 900, disse que a única coisa que não tem solução é a morte. "Prometo que vou resolver isso aí." Desde maio, a mãe de Guilherme, Eunice Finotti, 43, está tentando a inclusão do filho na prova. O Inep a informou que é possível ter acesso auxílio para a transcrição e uma hora a mais de tempo. "Mas uma fonoaudióloga não seria suficiente. Fazer esse exame significa muito para ele, que quer tentar uma bolsa de estudos", conta Eunice, ressaltando que já enviou vários exames solicitados pelo Inep. "O último parecer que me deram é que não é permitido o uso de equipamentos eletrônicos", afirma. Guilherme já cursou o técnico em informática e inclusive desenvolveu um jogo para a alfabetização de crianças com paralisia cerebral
.

http://www.jornalnh.com.br/site/noticias/ensino,canal-8,ed-149,ct-730,cd-220945.htm

4 comentários:

Márcia Dihl disse...

Oi Regina, tudo bem? Meu nome é Márcia sou produtora da Band TV. Vamos fazer uma matéria com o Guilherme amanhã, gostaríamos muito de poder falar contigo também. Por favor, entre em contato conosco: 2101.0362 fale com Mônica, caso eu não esteja mais na redação.
Obrigada

Elis Zampieri disse...

Oi Regina. Faço parte da equipe de colaboradores da Inclusive - Agência para promoção da Inclusão. Na minha coluna, dou destaque a blogs, trabalhos e projetos nessa área. Estou indicando seu trabalho e gostaria de saber se posso usar alguma imagem do blog para ilustrar a matéria.
A Inclusive pode ser acessada nessa entrada http://www.inclusive.org.br/. Aguardo contato pelo email elizampieri@hotmail.com

Abraço, Elisangela

Júnior disse...

Sou a favor da inclusão de todos os alunos tejam eles o tipo de deficiencia que tiverem,e não acho justo que um aluno não possa fazer a prova do Enem por ser deficiente
isso é uma injustiça,só por não quererem colocar um computador para o aluno poder fazer a prova como ele pode,atitudes já da imprensa!!!

Anônimo disse...

é comovente e satisfatório a importância de trabalho cumprido né prof, parabéns pelo ótimo trabalho, são de educadores que nem vc que precisamos nas nossas escolas, que não só se preocupem em ensinar o conteúdo programado, mas sim, saber contextualizar e fazer com que todos interajam, principalmente quanto a presença de pessoas especiais.

Esse jovem, é mais uma prova viva de que a capacidade de aprender, depende primeiramente de si mesmo, mas com ajuda de pessoas qualificadas e interessadas é sim possível atingir os objetivos, no caso dele, o ingresso a universidade.

O que é lamentável é que ele para poder exercer o seu direito de cidadão teve que apelar para a justiça, sem contar que mais lamentável é que o Inep, que é do governo, não ter permitido ele utilizar o recurso que ele necessita para adquirir e compartilhar seus conhecimentos. Isso é bem coisa do Brasil .. só através de escândalos que se conquista algo.

Mas, deixo os meus sinceros votos de sucesso a ele e com certeza ele ainda vai ser um grande programador.

Abraço,
Marieli Vogel