quarta-feira, 6 de maio de 2009

Fernanda Honorato

A coisa mais rara que tem é eu assistir tv, numa noite dessas, parei no Jô e tive uma grande surpresa. Conheci Fernanda Honorato. Uma gracinha de menina, um caso de inclusão que deu muito certo, mas independentemente dela ter Síndrome de Down é um exemplo de mulher e ser humano. Meu questionamento é por que os Downs são tão felizes? Claro que deve haver exceções, sem dúvida, mas é uma característica nata da maioria dos que eu conheço e tive a satisfação de poder trabalhar.
Com uma vontade imensa de viver, com alegria e grande auto estima, ela passa uma energia muito boa. A prova de que a inclusão dá certo. Ela é o resultado do investimento dos pais, de uma escola que não excluiu. É impossível assistir aos vídeos e não se contagiar com a alegria dela. Por que as pessoas comuns, eu e você não nos sentimos assim constantemente?
video



video

4 comentários:

gercicristal.blogspot.com disse...

olá boa tarde, eu trabalho com deficientes fisicos e mentasi e concordo com vc q os dows são mesmo muitos felizes. Amigo gostaria de compartilhar com vc sobre a chuva q caem no meu estado se quiser contribuir com ajudas aos de desabrigados ate orações serão bem vindas.
um abraço

João Victor Oliveira disse...

Apesar de toda evolução, ainda hoje se tem um conceito errado sobre portadores da Síndrome de Down. Muitos pensam que estas pessoas vivem menos, que não possuem capacidade de independência nem de integração com a sociedade.
Porém, as novas medidas de inclusão, de educadores prontos para lidarem com esta situação, da família cada vez mais acompanhando e suprindo todas necessidades, está mudando estes paradigmas. As oportunidades para as pessoas com a síndrome desenvolverem seus potenciais está cada vez maior.
Acredito que o fato de todos em sua volta estarem mais envolvidos, faz com que eles cada vez mais se sobressaiam e se sintam felizes. A ajuda e a força que recebem, de uma certa forma se torna recíproca... demonstrar felicidade, ser espontâneo, estar sempre com vontade de fazer o bem e ajudar o próximo, são as formas encontradas para mostrar que a diferença está apenas lá no cromossomo 21 e nada mais.

Entrevista no Jô - Parte 2:
http://www.youtube.com/watch?v=wTZd2Uz4NrU


--------------------------------------
"Eu espero que num futuro não muito distante, as conquistas das pessoas com síndrome de Down possam passar desapercebidas, mas não porque elas deixaram de ter alguma deficiência, mas pelo reconhecimento de que essa deficiência não lhes tira os direitos equivalentes aos de qualquer outro ser humano."

(Fábio Adiron - http://xiitadainclusao.blogspot.com/)
--------------------------------------

geovane Rinker disse...

Excelente entrevista com o Jô.
Realmente essas pessoas com dEficiencias são maravilhosas, cheios de vida e simplismente DEMAIS.
Com certeza são pessoas sinceras e não se ofendem com as indiferenças.

Essa FERNANDA é um exemplo de vida, de como viver nesse mundo que cada vez mais as pessoas buscam a perfeição, porém não sabem o verdadeiro valor da nossa existencia.

Glaci disse...

Simplesmente uma lição de vida! Essa entrevista nos faz acreditar no possível, na capacidade de cada ser humano, no desenvolvimento através das oportunidades oferecidas. Assim como a Fernanda, tem várias pessoas que aproveitaram as chances oferecidas e que tiveram a sorte de estar ao lado de pessoas que lutam contra o preconceito, de seres HUMANOS de fato!