segunda-feira, 14 de junho de 2010

Café Comunitário

Sexta-feira , dia 11 de junho, participei de um bate papo num programa de rádio na Feevale. O que mais me chamou a atenção foi o desabafo da Vitória Strassburger, menina cadeirante de 13 anos. Ela disse que as pessoas, ainda tem muito preconceito e que o cadeirante está escondido. Quando ela sai dificilmente encontra algum...fiquei pensando sobre isso. Realmente é difícil encontrar usuários de cadeiras de rodas nos shoppings, supermercados, restaurantes. Nas ruas eu até entendo, porque as calçadas não proporcionam acessibilidade e é muito fácil uma cadeira entrar num buraco e não sair mais. Mas e nos outros locais. Por que isso acontece?
O texto completo dos assuntos debatidos no café está no blog.
http://cafecomunitariofeevale.blogspot.com/2010/06/cafe-comunitario-debate-sobre-rotina.html

3 comentários:

Dianifer disse...

Eu acredito que por não haver grande acessibilidade que os cadeirantes não saem às ruas. A vergonha não é por estar na cadeira de rodas e sim por ter que passar por vários obstáculos todos os dias e às vezes não ter alguém para ajudar.Mas, se eles saíssem mais os locais de lazer se sentiríam obrigados a atender melhor também esta clientela e a acessibilidade aumentaria.
São os dois lados da inclusão a que sai e a que se esconde.

RENATA GABRIELA disse...

Bom, através do relato da menina, podemos observar o descaso da sociedade com a acessibilidade em relação com as barreiras físicas e sociais, o que é vergonhoso, pois a constituição passa que os ambientes públicos como edifícios, transportes devem ser adaptados, para que TODOS tenham acesso. Nossas leis são bem elaboradas, pena que não são totalmente cumpridas.

Joseane Colombo Vargas disse...

Pode-se concordar que muitos lugares tem se preocupado com a questão de reestruturação, tendo como foco a acessibilidade. No entanto,é difícil saber com certeza, quais os lugares que dispõem deste diferencial.
Também é bastante difícil, para não dizer, praticamente impossível, a circulação de cadeiras de rodas nas ruas das cidades em geral, levando em consideração todos os aspectos que as norteiam, como calçadas, entre tantos outros.
Contudo, espera-se sempre melhorias!